Vinde, vede e senti

    Elder Wolfgang Pilz, Setenta de Área
    Elder Wolfgang Pilz Setenta de Área

    A década de 60 do século XX caracterizou-se por mudanças significativas e um novo crescimento da Igreja na Europa. O Elder Ezra Taft Benson, do Quórum dos Doze Apóstolos, que mais tarde serviu como Presidente da Igreja, foi chamado para a Europa para presidir aqui em Frankfurt sobre a Missão Europeia. Sob a sua direção, tiveram início iniciativas para tirar a Igreja da obscuridade nos territórios da Europa Central, e particularmente na Alemanha, o país mais fortemente atingido pela destruição da Segunda Guerra Mundial. Muitas unidades na Alemanha tinham perdido os seus edifícios e estavam a reunir-se em blocos de apartamentos ou anexos de quintal.

    Na minha cidade natal, reuníamos-nos num edifício comercial no centro da cidade, onde havia uma loja de sapatos, um consultório odontológico e, no último andar, o apartamento do proprietário do edifício.

    Uma experiência marcante da minha infância está profundamente gravada na minha memória até hoje. Um menino da Primária tinha forçado a fechadura da porta da frente e, obviamente, estragou-a. Durante a reunião sacramental e enquanto os membros da ala estavam todos sentados a assistir, o proprietário do edifício, de repente, irrompeu zangado pela sala e começou a gritar palavrões e ameaças. Depois disso, tudo mudou. O sentimento de segurança havia-se perdido. 

    Pouco tempo depois, o Presidente Benson visitou a ala de Darmstadt e anunciou a construção de uma capela para nós.

    O grande desafio para um grupo de dez famílias jovens e algumas viúvas fiéis um pouco mais velhas, foi conseguir uma parte do financiamento necessário para a sua construção com base nas suas próprias contribuições e, essencialmente, prover a maioria da mão-de-obra.

    O que se seguiu foram três anos de trabalho de equipa intenso para conseguirmos construir uma espaçosa capela nos arredores da cidade.

    Numa época em que muitas das famílias envolvidas estavam provavelmente a construir as suas próprias casas com a ajuda dos vizinhos, todas as nossas forças estavam concentradas e todo o tempo livre eram canalizados na construção da capela. O local de construção, as escavações e os tubos de ventilação tornaram-se num parque de aventuras para nós, crianças, uma vez que todos os fins de semana as famílias se reuniam lá para trabalhar. Até ao dia de hoje, tenho presente a imagem da minha mãe a carregar a maior panela lá de casa, onde havia feito um delicioso guisado, até ao local d construção.

    De 1961 e 1967, numa iniciativa inédita, mais de 120 jovens irmãos foram chamados para servir como missionários de construção. Eles viviam com famílias de membros, trabalhavam de manhã à noite no local de construção e fizeram, durante algum tempo, parte da nossa família da ala. Para nós, as crianças, eles eram um grande exemplo. Até hoje, ainda nos lembramos dos seus nomes. A construção de uma capela da ala só foi possível graças aos seus esforços e aos de alguns peritos.

    De Flensburg, no Norte da Alemanha, a Graz, no sul da Áustria, foram erguidos perto de 60 edifícios nestes mesmos moldes.

    Assim como os Templos e os nossos lares, as capelas são lugares sagrados onde adoramos Deus, orarmos a Ele, somos ensinados e recebemos orientação espiritual.

    A capela desempenha este papel em particular, pois é um lugar onde todos os que sabem comportar-se adequadamente podem entrar sem quaisquer pré-requisitos.

    Antigamente, costumávamos convidar os nossos amigos para participar em eventos culturais, actividades desportivas ou celebrações na capela. Eles ficavam impressionados com a nossa vida na ala, mas muitas vezes não alcançavam a verdadeira perspetiva espiritual.

    Mais tarde, percebemos que os nossos amigos só sentiam o Espírito e só conseguiam reconhecer os ensinamentos de Cristo, quando os convidávamos para assistir à reunião sacramental, onde podemos encher “com azeite as nossas lâmpadas” ao participar regularmente do sacramento.

    As nossas capelas podem ser simples e sem ornamentos, e a mesa do sacramento pode ser um simples altar durante a cerimónia sagrada, mas a mensagem de que nós adoramos a Cristo como o nosso Salvador e Redentor, e que podemos reivindicar o seu companheirismo e orientação por meio da participação digna do sacramento, pode penetrar no coração das pessoas nesta reunião sagrada.

    Não há nenhum lugar melhor para partilhar esta verdade com um amigo.