Serão musical do coro da Estaca de Lisboa

    Serão musical do coro da Estaca de Lisboa

    No final da tarde  do dia 6 de julho, a capela da Av. Gago Coutinho estava  repleta, para a apresentação do coro da estaca de Lisboa.  Desta vez o tema foi a Restauração do evangelho .

    O guião excelentemente elaborado  pela irmã Ana Rodrigues fez-nos viajar até ao ano de 1820, época em que tudo começou.

    'Ao longo da história da humanidade, Deus sempre chamou profetas para liderar o Seu povo e ensinar-lhes o Seu grande plano de salvação. No entanto, após a morte dos apóstolos de Cristo, muitas verdades claras e simples do evangelho foram perdidas e uma nuvem de apostasia cobriu a Terra durante vários séculos. A história de Joseph protagonizou o final desta época de trevas espirituais e o início de uma nova Era'.

    Foi assim que se iniciou esta apresentação que nos transportou para os primórdios da  igreja restaurada. As músicas interpretadas e as imagens projetadas fizeram-nos reviver esta época, recordando-nos dos seus principais momentos. A primeira visão, a tradução do livro de Mórmon, as perseguições e o martírio do Profeta foram alguns dos principais acontecimentos que aqui foram ilustrados.

    Coro

    As apresentações musicais incluíram para além do coro da estaca, o coro dos missionários, solos, duetos, e o  acompanhamento ao piano e violoncelo.

    Toda a direção deste trabalho foi da responsabilidade da maestrina, irmã Irene Sá Barros Adriano, que no final da apresentação proferiu algumas palavras de agradecimento a todos e em especial aos 6 membros que vão deixar o coro, pois vão sair do país. Deste grupo salienta-se a pianista a irmã Daniela Dornelles, que com o seu talento abrilhantou todas as apresentações do coro  durante 7 anos.

    Foi nesta atmosfera que terminou este serão musical. Cantamos em conjunto o hino 'Tal como um facho' e nos nossos corações ficou o sentimento de que ,'Somos pioneiros quando humilde e silenciosamente, em coisas grandes ou pequenas, somos fiéis e perseveramos até o fim. Somos pioneiros por meio do nosso exemplo e serviço e, acima de tudo, pelo nosso testemunho de que Jesus Cristo vive.  Independentemente da década ou do século, ou do país, ou da nossa situação, todos somos pioneiros da nossa própria alma numa jornada singular rumo à salvação, tendo Jesus Cristo como meta final'.