Quando Santificamos o Dia do Senhor Somos Santificados

    Elder Paul V. Johnson, 1º Conselheiro, Presidência da Área da Europa
    Elder Paul V. Johnson 1º Conselheiro, Presidência da Área da Europa

    Ao longo desta vida terrena procuramos tornar-nos mais semelhantes ao nosso Pai Celestial e com o Seu Filho, Jesus Cristo. Desejamos aprender mais acerca Deles e desejamos viver como Eles gostariam que vivêssemos. Queremos santificar-nos e ser santos como Eles o são. Uma ajuda preciosa nesta nossa demanda de nos tornarmos santos é o Dia do Senhor. O Dia do Senhor foi instituído para nos (Marcos 2:27) ajudar e abençoar no decurso da nossa vida. Fomos ordenados a observar “o dia do Senhor para santificá-lo” (D&C 68:29). Quando guardamos o Dia do Senhor somos santificados. 

    Qual o papel do Dia do Senhor no processo de nos tornarmos santos? O Senhor disse que podemos conservar-nos limpos das manchas do mundo indo à casa de oração e oferecendo os nossos sacramentos no Seu dia santificado (D&C 59:9). Conservarmo-nos limpos das manchas do mundo pode ser visto como um convite, mas também é uma enorme bênção que advém de santificarmos o Dia do Senhor. Ser santo significa, em parte, ser limpo e não ter manchas ou impurezas do mundo na nossa vida é um grande passo rumo à santificação. 

    Uma parte importante de permanecer limpo consiste na participação da ordenança do sacramento. Quando participamos do sacramento dignamente é nos prometido “ter sempre [connosco] o seu Espírito” (D&C 20:77). O Espírito santifica-nos e purifica-nos (3 Néfi 27:20).

    Somos santificados à medida que aprendemos mais sobre o Salvador e seguimos o Seu exemplo. Aprendemos mais sobre Ele à medida que assistimos às nossas reuniões e classes e no âmbito do nosso estudo e adoração pessoal no Dia do Senhor.

    Também nos tornamos mais santos quando nos focamos mais nos outros, tal como o Salvador o fez na Sua vida terrena. Quando cumprimos com os nossos chamados estamos a servir outros. Podemos trazer um amigo para as nossas reuniões da Igreja ou para os nossos lares e partilhar com ele as bênçãos do evangelho. Podemos buscar alcançar os nossos antepassados, pesquisando sobre eles e fazendo tudo para que recebam as ordenanças no Templo. Podemos fortalecer os laços familiares entre os membros da nossa família e abençoar a vida de outros demonstrando-lhes o nosso amor.

    O Presidente Russell M. Nelson explicou que o Dia do Senhor nos proporciona “…verdadeiro alívio dos rigores da vida cotidiana e uma oportunidade para a renovação espiritual e física.” (A Liahona, maio de 2015).

    O Presidente Nelson também explicou que se apercebeu que a sua conduta e atitude no Dia do Senhor eram um sinal entre ele e o seu Pai Celestial. Em vez de possuir uma lista daquilo que podia ou não fazer: “Quando tinha que tomar a decisão sobre uma atividade ser ou não adequada para o Dia do Senhor, simplesmente me perguntava: “Que sinal quero dar a Deus?” Essa pergunta fez com que minhas escolhas para o Dia do Senhor ficassem bem claras.” (A Liahona, maio de 2015).

    “Quando uma nação se descuida da observância do dia de descanso, todos os aspetos de sua vida são afetados e a sua vida religiosa decai” (Guia para Estudo das Escrituras, Dia de Descanso). Este princípio não se aplica apenas às nações, mas também a cada indivíduo. Quando um indivíduo se descuida da observância do Dia do Senhor, todos os aspetos da sua vida são afetados e a sua vida espiritual começa a decair. Mas se santificarmos o Dia do Senhor, todos os aspetos da nossa vida serão positivamente afetados e tornar-nos-emos mais santos.

    Que grandiosa bênção é o Dia do Senhor! Num mundo decaído e cheio de desafios, o Senhor proporcionou-nos um dia, que se guardado adequadamente, não só nos será um deleite (Isaías 58: 13-14), como também nos ajudará no processo de santificação—para que nos tornemos santos perante o Senhor.