Pular para a Navegação Principal

O Espírito de Natal

Elder Patrick Boutoille, Setenta de Área
Elder Patrick Boutoille Setenta de Área

O Natal é uma época maravilhosa!

Todos parecem ter o coração mais enternecido e a bondade torna-se mais dominante na nossa vida. É um período onde dedicamos mais tempo a expressar amor pela nossa família, pelos nossos pais e pelos nossos amigos.

O mundo em geral também fica muito ocupado com a azáfama dos presentes, as preparações para os jantares e os muitos convites para festas. E se não tivermos cuidado, esses eventos podem tornar-se na única razão para a celebração do Natal.

Como discípulos de Cristo, temos de fixar-nos naquilo que representa o verdadeiro Espírito do Natal.

Gosto muito do convite do Presidente Howard W. Hunter1:

Se deseja encontrar o verdadeiro espírito do Natal e partilhar os seus doces frutos, gostaria de lhe fazer uma sugestão. Em meio a toda a agitação desta época festiva do Natal, encontre um tempo para voltar o seu coração para Deus. Talvez nos momentos tranquilos, num lugar sossegado, ajoelhado — sozinho ou acompanhado pelos seus entes queridos — agradeça pelas coisas boas que recebeu e peça que o Seu Espírito habite em si, ao esforçar-se sinceramente para O Servir e guardar os Seus mandamentos. Ele o conduzirá pela mão e as Suas promessas serão cumpridas.

Se deseja encontrar o verdadeiro espírito do Natal e partilhar os seus doces frutos, gostaria de lhe fazer uma sugestão. Em meio a toda a agitação desta época festiva do Natal, encontre um tempo para voltar o seu coração para Deus. Talvez nos momentos tranquilos, num lugar sossegado, ajoelhado — sozinho ou acompanhado pelos seus entes queridos — agradeça pelas coisas boas que recebeu e peça que o Seu Espírito habite em si, ao esforçar-se sinceramente para O Servir e guardar os Seus mandamentos. Ele o conduzirá pela mão e as Suas promessas serão cumpridas.

Este convite deve levar-nos a refletir sobre a forma como queremos, este ano, fazer todos os preparativos típicos do mês de dezembro.

Lembro-me dos Natais da minha infância. Eram simples, felizes e centrados na família.

Também me recordo de ter sido muito tocado no primeiro Natal que passei na minha missão em Inglaterra. O meu companheiro sueco, o Elder Nilsson, e eu decidimos reservar a noite para servir o próximo. Na véspera de Natal, visitámos um membro no hospital, tentámos levar alguma alegria às pessoas tristes que percorriam as ruas e oferecemos pequenos presentes aos mais carenciados de atenção.

Tocávamos à campainha e, em seguida, escondíamo-nos para poder observar os rostos felizes dos que abriam a porta e viam os nossos presentes, o que nos encheu de gratidão. Estava uma noite muito fria, mas os nossos corações ardiam de amor no nosso peito...

Mais tarde, a minha esposa e eu quisemos criar uma tradição Natalícia na nossa família:

Na véspera de Natal, nós e os nossos filhos, juntamente com os missionários, sempre que estes podiam, fazíamos biscoitos, chocolates e doces, ensaiávamos canções de Natal a várias vozes e, em seguida, planeávamos o nosso final de dia. Depois, visitávamos membros e vizinhos e cantávamos-lhes as nossas maravilhosas melodias Natalícias repletas de palavras emotivas e oferecíamos-lhes os doces que havíamos preparado.

Há alguns anos, visitámos uma conhecida da minha esposa. O seu estado de saúde estava irremediavelmente em declínio. Eu não a conhecia pessoalmente, mas quando começámos a cantar, notei que o seu rosto brilhava e, apesar da situação difícil em que se encontrava, pude observar que por alguns momentos se encheu de alegria. Lágrimas de gratidão escorriam-lhe pela face.

Estes momentos sagrados para a nossa família ajudam-nos a recordar as palavras de Isaías:

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz..”2

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz..”2

“Que enchamos o mundo com a luz do Seu amor e do Seu poder de cura por meio dos nossos simples atos de bondade, caridade e compaixão.”3

Testifico que Jesus é o Cristo, que Ele é o Salvador de toda a humanidade. O Seu amor por nós é imenso.

Oro para que nos consigamos organizar e preparar de modo a podermos desfrutar do verdadeiro Espírito do Natal.



1. A Liahona, dezembro de 2005, Howard W. Hunter, 14º Presidente da Igreja,
“O Verdadeiro Natal”


2. Isaías 9:6

3. Liahona, dezembro de 2014, Dieter F. Uchtdorf, 1º Conselheiro na Primeira Presidência,
“Encher o Mundo com o Amor de Cristo”