Mãos que Ajudam: 'Filhos do Coração'

    Mãos que Ajudam: 'Filhos do Coração'

    A palavra 'escravidão' suscita por si só sentimentos de revolta, horror e condenação. Quando aliada a crianças estes sentimentos grandemente se agudizam, levando-nos ao mais profundo sentimento da degradação humana. Infelizmente esta realidade é ainda um dos flagelos da nossa sociedade dita moderna. Milhares de crianças sofrem esse flagelo diariamente em todas as partes do mundo. Algumas delas encontram-se no Lago Volta, no Gana, um dos países mais pobres de África.

    Foi para nos falar desta realidade tão cruel e abominável que no dia 29 e maio, se deslocou à Capela da Av.Gago Coutinho, a conhecida jornalista de televisão, Alexandra Borges. Segundo ela, tudo começou com uma reportagem que fez em 2007 sobre estas crianças e sobre esta realidade, a qual foi internacionalmente premiada. Depois de realizar esta reportagem a Alexandra não conseguiu ficar indiferente àquilo que viu. Segundo ela própria 'ninguém conseguiria!', e por isso resolveu utilizar as suas energias, o seu mediatismo, e os seus conhecimentos para resgatar o maior número de crianças desta tão revoltante escravidão. Assim, criou a ONG (organização não governamental) 'Filhos do Coração',  cujo o objectivo é o resgate destas crianças, proporcionando-lhes abrigo e educação. Para suportar financeiramente todo este projeto é necessário primeiro, dá-lo a conhecer.

    A deslocação desta jornalista foi iniciativa da Ala Lisboa Tejo tendo sido apoiada pela Estaca de Lisboa, que se juntou a esta causa, através do programa 'Mãos que Ajudam'. Respondendo a este apelo houve o compromisso de produzir 1.000 pequenas peças de artesanato  (ponteiras para lápis, chamadas Alexix ) - que serão depois doadas a esta organização, para serem vendidas.

     Todos os sábados do mês de junho, as portas da capela da Gago.Coutinho estarão abertas a quem voluntariamente quiser participar nesta realização e desta forma  contribuir para esta causa tão nobre. Como a própria Alexandra disse 'quem fica a saber desta realidade não pode ficar indiferente, sendo que a indiferença mata'.

    Os irmãos da Estaca de Lisboa foram desta forma alertados para esta realidade tão cruel e convidados a ajudar esta causa, que procura dar um nova vida a crianças desprotegidas.