Como é estagiar no Escritório da Igreja da União Europeia em Bruxelas?

    Como é estagiar no Escritório da Igreja da União Europeia em Bruxelas?

    Uma entrevista com Rakel Nilsson

    Por Francesco Di Lillo

    O Escritório de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias da União Europeia apoia os esforços da Igreja nas relações governamentais na área geográfica da União Europeia. Sediado em Bruxelas, na Bélgica, procura envolver-se em assuntos relacionados com a fé, a família e a liberdade religiosa ou a crença, aliando-se a outras denominações religiosas e organizações com vista a promover e garantir a livre prática da fé e da religião a todas as pessoas.

    Rakel Nilsson, um membro da Igreja, com um bacharelato em Relações Internacionais, de Helsingborg, na Suécia, terminou recentemente o seu estágio no Escritório de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias da União Europeia em Bruxelas.

    Podes falar-nos um pouco sobre ti e o que te levou a candidatares-te a um estágio no Escritório da Igreja na União Europeia?

    Podes falar-nos um pouco sobre ti e o que te levou a candidatares-te a um estágio no Escritório da Igreja na União Europeia?

    Rakel: Bom, conforme disseste, eu tenho um bacharelato em Relações Internacionais mas ainda não tenho muita experiência de trabalhado nesta área, de modo que quando o meu bispo me apresentou esta possibilidade de estágio pensei que seria uma boa experiência para aperfeiçoar as minhas capacidades no âmbito das relações internacionais e ver se era um ramo por onde me interessava enveredar. Sempre me interessei por relações internacionais e intercâmbios culturais. Existe algo de muito apelativo no estabelecimento de pontes entre diferentes culturas, opiniões, pontos de vista e ideias. Por outro lado, passar uns dois meses em Bruxelas não me pareceu nada mau.

    Rakel:

    Podias descrever um dia normal de trabalho no escritório?

    Podias descrever um dia normal de trabalho no escritório?

    R.: Não sei se existe algum dia normal de trabalho no escritório. Estar sujeito a tudo o que se passa em Bruxelas torna difícil ter uma rotina normal. As minhas funções incluíam participar em diferentes comités no Parlamento Europeu, escrever relatórios, preparar reuniões, comparecer em eventos, fazer pesquisas e muito mais. Por vezes havia dias em que tinha de tudo um pouco. Julgo que é importante ser flexível num escritório como este, onde os planos do dia podem ser mudados a qualquer momento, o que, na minha opinião até torna o trabalho divertido.  

    R.:

    Mencionaste estar envolvida nalguns projetos. Podes ser mais específica?

    Mencionaste estar envolvida nalguns projetos. Podes ser mais específica?

    R.: Tenho estado envolvida em diferentes projetos. Um deles implicava acompanhar os constantes debates no Parlamento com a Comissão e o Conselho sobre uma proposta de diretiva referente à entrada na UE dos nacionais de países terceiros. Comecei por analisar o ficheiro dos procedimentos disponível no site do Parlamento para conhecer a história da proposta de diretiva, depois estudei o documento, ouvi o debate no comité e no parlamento e contactei o escritório do relator para alguns esclarecimentos e conhecer as previsões. Vai ser interessante saber o resultado desta diretiva.

    R.:

    Um outro projeto onde me encontrei envolvida foi o da Plataforma Europeia de Discriminação e Intolerância Religiosa (EPRID) da qual o Escritório da EU de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias faz parte. Ajudei na preparação de um pequeno-almoço que ofereceram aos assistentes dos membros do Parlamento Europeu e participei de reuniões com a plataforma.

    Qual foi o ponto mais alto da sua experiência?

    Qual foi o ponto mais alto da sua experiência?

    R.: Julgo poder destacar três pontos altos:

    R.:

    1. Quando o presidente e o embaixador dos Estados Unidos do Comissariado pela Liberdade Religiosa Internacional veio participar de um evento no Parlamento Europeu e tivemos a honra de o receber numa cerimónia especial de boas vindas. Tive o privilégio de poder fazer parte desse processo, planeando e organizando a receção, o que até achei bastante divertido. Foi um desafio e uma grande oportunidade para crescer e aprender coisas novas.

    2. Quando o Elder Patrick Kearon, da Presidência da Área da Europa, veio para participar da reunião de alto nível na Comissão Europeia com líderes religiosos. Eu participei no processo que envolveu a preparação do Elder Kearon para a reunião. Foi uma experiência muito agradável, pois aprendi muito sobre as pessoas que participaram na reunião e as organizações que representavam. No entanto, o maior impacto desta experiência resultou do exemplo de serviço e amor Cristão demonstrados pelo Elder Kearon, algo que permanecerá comigo para sempre.

    3. E, de uma forma geral, tudo o que envolveu estar Bruxelas, um dos pilares políticos do mundo, e poder participar em reuniões no Parlamento Europeu, na Comissão e em diversas embaixadas com vista a promover a liberdade religiosa. Também não poderia deixar de destacar as pessoas que conheci e as coisas que aprendi. Esta foi uma experiência incrível e, se voltasse atrás, não mudava nada.

    Obrigado, Rakel!

    Obrigado, Rakel!

    Se és um membro da Igreja licenciado e com interesse nas áreas das relações internacionais, da liberdade religiosa e de credo, ao nível da UE, e gostavas de saber mais sobre como estagiar no Escritório da União Europeia, escreve para EUOffice@ldschurch.org.

    Se és um membro da Igreja licenciado e com interesse nas áreas das relações internacionais, da liberdade religiosa e de credo, ao nível da UE, e gostavas de saber mais sobre como estagiar no Escritório da União Europeia, escreve para