Mensagem da Liderança da Área

    As Bênçãos do Templo na Minha Vida

    casal no templo
    Elder Helmut D. Wondra, Setenta de Área
    Elder Helmut D. Wondra Setenta de Área

    O meu amor pelo templo remonta à minha infância, quando o conhecia apenas através de fotografias e histórias. Sempre que os meus pais regressavam de uma visita ao Templo de Berna, na Suíça, pareciam sempre mais felizes e radiantes do que antes — e traziam sempre consigo o delicioso chocolate suíço. Desta forma, desenvolvi uma ligação muito positiva com a Casa do Senhor desde tenra idade.

    Aos 13 anos, tive a oportunidade de ver e entrar num templo pela primeira vez. Mesmo só de o ver por fora, fui movido pela sua santidade e pureza. No seu interior, senti-me perto do céu. Estes sentimentos só se tornaram mais profundos e nítidos ao longo dos anos.

    Por cima das portas do templo lemos as palavras: Santidade ao SenhorA Casa do Senhor.

    O Senhor Jesus Cristo é de facto o Senhor do Templo. Estas casas sagradas são consagradas a Ele e ao nosso Pai Celestial. Os templos são santificados pela presença do Espírito Santo. Cristo é a fonte do poder e da luz que emanam do templo. Todos os símbolos e convénios e todas as ordenanças do Templo apontam para Ele e para a Sua grandiosa Expiação e ajudam-nos a ser mais semelhantes a Ele.

    O nosso quotidiano é muitas vezes caracterizado por ruído e tumulto. Deixá-lo para trás, de tempos em tempos, para ir à Casa do Senhor e desfrutar de um ambiente de paz e santidade, traz paz à nossa alma.

    Neste ambiente puro, é mais fácil encontrar respostas para as nossas perguntas e preocupações mais profundas. Na sua primeira mensagem como Presidente da Igreja, o Presidente Nelson prometeu o seguinte:


    As ordenanças do templo e os convénios que lá realizamos são fundamentais para fortalecer a nossa vida, o nosso casamento e a nossa família e nossa capacidade de resistir aos ataques do adversário. A vossa adoração no templo e o serviço que lá realizarem pelos vossos antepassados, abençoar-vos-ão com mais paz e revelação pessoal e fortalecerão o vosso compromisso de permanecer no caminho do convénio.“​[i]


    O cumprimento das grandes promessas do templo depende da nossa fidelidade em guardarmos os convénios do templo e do modo como nos consagramos, a nós mesmos, ao Senhor e à Sua obra.

    Não precisamos de ser perfeitos para ir ao templo e receber as maravilhosas bênçãos que lá nos aguardam. Mas devemos esforçar-nos por ser merecedores e oferecer em sacrifício um coração quebrantado e um espírito contrito.[2] Para mim, isto significa que tenho que desenvolver um coração humilde e ensinável — um coração em harmonia com o Pai Celestial. Para mim um espírito contrito significa, , que devo adotar uma atitude honesta, estar ciente das minhas imperfeições e perceber que preciso da ajuda do Senhor para voltar ao meu Pai Celestial.

    O Senhor prometeu:

    E bem-aventurados são todos os que têm fome e sede de retidão, porque eles serão cheios do Espírito Santo.[3]

    A maior bênção que já vivenciei na Casa do Senhor foi a de poder estabelecer os alicerces de uma família eterna juntamente com a minha amada esposa. Graças aos convénios do templo e à autoridade do selamento que são ali realizados, temos a promessa de que o nosso casamento perdurará pelo tempo e por toda a eternidade, se permanecermos fiéis aos convénios. Temos a promessa de que, juntamente com os nossos entes queridos, podemos viver para sempre na presença de Jesus Cristo e do nosso Pai Celestial.

    O cumprimento desta promessa vale qualquer sacrifício.

    Sejamos pois um povo que vem ao templo com a maior frequência possível para sermos santificados e purificados, para recebermos revelação e poder do alto, para servirmos os nossos antepassados e, por intermédio dos convénios do evangelho e da graça de Cristo, recebermos todas as bênçãos que o nosso Pai Celestial tem reservadas para nós.


    1 A Mensagem da Primeira Presidência, 16 de janeiro, 2018

    2 Ver 3 Néfi 9:20

    3 3 Néfi 12:6